“O Judiciário sempre estará lá, mas deve ser visto, se não como a última opção, ao menos como mais uma alternativa em meio a muitas outras.” Compartilho mais um artigo sobre os métodos alternativos de resolução de conflitos destacado no Jus Navigandi – leia aqui.