­

Dicas de dicionários técnicos

Estes são alguns dos dicionários e outras fontes de pesquisa que costumo utilizar no meu trabalho de tradução. Espero que sejam úteis para você também!

– Black’s Law Dictionary – a Bíblia para consulta de termos jurídicos (inglês/inglês). Indispensável. Uso muito para esclarecer questões relativas a perdas e danos (qual são os equivalentes no direito brasileiro a conceitos como consequential damages, punitive damages e liquidated damages, por exemplo?), contratos, contencioso e direito penal.

– Dicionário Marcílio, Marcílio M. Castro, ed. Forense. Há uma versão em PDF publicada pelo autor no seu site. Provavelmente o melhor dicionário jurídico português-inglês/inglês-português do mercado.

– Dicionário Jurídico Português-Inglês/Inglês-Português, Maria Chaves de Melo, ed. Dinalivro.

– Dicionário de Termos de Negócios, Manoel Orlando de Morais Pinho, ed. Atlas. Dicionário português-inglês/inglês-português contendo termos de contabilidade, seguros, mercado financeiro etc.

– Dicionário do Petróleo em Língua Portuguesa, Eloi Fernández y Fernández, Oswaldo A. Pedrosa Junior e Antônio Correia de Pinho, Ed. Lexikon. Há também uma versão online publicada pelos autores. Dicionário de termos técnicos de petróleo e gás, cobrindo termos de engenharia, geologia, negócios, contratos etc.

– Dicionário Prático de Energia Elétrica, Duke Energy. Dicionário de termos técnicos português-inglês/inglês-português da área de energia.

Fontes de consulta de gramática inglesa:

– The elements of style, Strunk, White e Kalman, Penguin Books. Esclarecimentos práticos e pontuais para quem é detalhista, como por exemplo: uso do apóstrofe e do possessivo; uso de pronomes; quando usar “like” ou “as”, “may” ou “can”; expressões como “along these lines”.

– The New Fowler’s Modern English Language, Oxford University Press. Um guia bem completo, organizado em verbetes, semelhante ao “The elements of style” porém bem mais extenso.

Enjoy!

By |10th/novembro/2018|Tradução|0 Comments

Glossário de Arbitragem Português > Inglês

Ação Cautelar Antecedente = Pre-Trial Provisional Remedy

Alegações e pedidos = Claims and relief sought (ICC)
Alegações Iniciais  = Statement of Claim, Statement of Case (LCIA)

Arbitragem de direito = Arbitration in law

Arbitragem por equidade = Arbitration in equity

Ata de Missão = Terms of Reference
Câmara de Arbitragem = Arbitration Chamber
Cláusula arbitral = Arbitration clause
Cláusula compromissória = Arbitration clause
Cláusula patológica= Pathological clause
Cláusula vazia = Empty clause
Compromisso de arbitragem = Submission agreement, Arbitration commitment
Convenção de arbitragem = Arbitration agreement

Declaração de Testemunha = Witness Statement

Doc./documento (anexo às petições das partes) = Exhibit

Encerramento da instrução = Closing of the proceedings (ICC)

Homologação da sentença arbitral estrangeira = (Application for) recognition proceedings

Impugnação de árbitros = Challenge of arbitrators

Instrução do processo = Inter-parties production of documents, Establishmento of the facts of the case (ICC)
Integração de partes ao processo  = Joinder (of additional parties)
Juízo arbitral = Arbitral jurisdiction, Arbitral Tribunal
Laudo Arbitral = Arbitral Award, Arbitration Award
Lei de Arbitragem = Arbitration Act
Lex arbitri = Lex arbitri, Procedural law of the arbitration

Manifestação = Submission

Medida cautelar = Conservatory measure

Medida Cautelar Antecedente = Pre-Trial Provisional Remedy
Medida provisória = Interim measure
Medida urgente = Urgent measure
Pedido = Relief sought (ICC), Prayer for relief
Pedido reconvencional = Counterclaim

Petição = Submission

Pontos controvertidos = Issues to be determined (ICC)
Princípio da competência-competência (kompetenz-kompetenz) = Competence-competence principle
Procedimento (processo) arbitral = Arbitral proceeding
Reconvenção = Counterclaim
Regulamento de Arbitragem = Arbitration Rules
Réplica = Statement of Reply, Reply, Rebuttal, Rejoinder
Requerente (autor) = Claimant
Requerido (réu) = Respondent
Requerimento de Arbitragem = Request for Arbitration

Resposta à Reconvenção = Defense to the Counterclaim

Resposta ao Requerimento de Arbitragem = Answer to the Request for Arbitration
Sede da arbitragem = Seat of the arbitration, Place of the arbitration (ICC)
Sentença arbitral = Arbitral award, Arbitration award
Termo de Arbitragem = Terms of Reference
Tréplica = Counter-rejoinder, Rejoinder, Rebuttal (Obs.: Atenção para diferenciar da Réplica)
Tribunal Arbitral = Arbitral Tribunal (ICC, UNCITRAL), Arbitration Panel

By |29th/março/2018|Tradução|0 Comments

Sentença: sentence ou judgment?

No processo cível, o termo mais usual talvez seja judgment, mas também pode-se utilizar de forma indistinta decision, award, finding, entre outros semelhantes. Sentence é um termo restrito ao processo criminal, de modo que não deve ser usado em outro contexto. A sentença ou laudo arbitral, por sua vez, é arbitral award.

By |17th/outubro/2017|Tradução|0 Comments

Reps & Warranties

Representations and warranties são as chamadas declarações e garantias contratuais. Embora garantia seja um termo impreciso nesse contexto para traduzir warranty, é o jargão já consagrado no meio jurídico brasileiro. No entanto, jamais traduza representation como “representação”.
 
Representations (ou “reps”, para os íntimos) são declarações prestadas pelas partes do contrato com relação a questões que vão desde os poderes dos representantes legais de cada empresa para assiná-lo até a situação financeira da empresa, os processos nos quais está envolvida, se detém os alvarás e licenças necessários para as suas atividades e diversos outros pontos relevantes para a concretização do negócio. Simplificando bastante, o comprador baseia-se nessas declarações para avaliar os riscos do negócio, calcular os passivos que estará assumindo, exigir garantias, aceitar o preço e fechar o contrato, enquanto, para o vendedor, elas servem para, por exemplo, avaliar a capacidade de pagamento do comprador em uma venda a prazo.

As warranties são a “garantia” de que o que está sendo declarado é verdadeiro e uma promessa implícita de indenização.

By |25th/setembro/2017|Tradução|0 Comments

Condição… “precedente”?!

O termo hoje é “Condition Precedent”.
 
No direito brasileiro existem condições suspensivas e resolutivas. O termo “condição precedente” não existe: é resultado da tradução literal do inglês condition precedent, corretamente traduzido como condição suspensiva.
 
As conditions precedent são muito comuns em contratos de compra e venda de empresas, que exigem que diversos atos sejam praticados após a assinatura (execution) do contrato para que a operação seja concluída de forma definitiva em uma data posterior (o closing, ou fechamento da operação). Esses atos são nada mais do que as condições suspensivas da operação, ou seja, condições de cuja implementação depende a eficácia do negócio jurídico.

By |18th/setembro/2017|Tradução|0 Comments

Dicas de inglês e terminologia jurídica

Periodicamente vou publicar aqui algumas dicas de inglês e terminologia jurídica.

Com a disseminação cada vez maior de contratos e toda a sorte de documentos estrangeiros no Brasil, muitos erros de português começaram a ser cometidos, especialmente falsos cognatos e erros decorrentes de diferenças entre os sistemas jurídicos dos Estados Unidos ou Reino Unido e do Brasil. Erros como esses podem resultar no uso de terminologia imprecisa ou até mesmo inexistente em documentos exequíveis no Brasil, verdadeiros “Frankensteins jurídicos” que, em caso de conflito, terão que ser interpretados e solucionados por juízes ou árbitros sob a lei brasileira.

Uma das áreas de dificuldade é a de responsabilidade civil, já que no sistema anglo-saxão existe uma gama de diferentes tipos de danos que não estão tipificados no Brasil. Também tenho notado algumas questões surgirem no próprio contencioso, pois cada vez mais os advogados brasileiros têm atuado na arbitragem internacional e já começam a criar anglicismos de forma desnecessária.

A tradução/versão de documentos jurídicos é tarefa seriíssima, pois qualquer uso de palavras inadequadas pode ter consequências imprevisíveis, dentre as quais a “delegação” para que o juiz ou árbitro interprete termos mal utilizados ou incompreensíveis, que poderiam ter ficado claros no documento tivesse sido ele bem redigido. Ao negociar o contrato ou elaborar a petição, o advogado escolhe cada palavra de forma cuidadosa; o mesmo cuidado tem que ser refletido na versão ou tradução do documento para outro idioma.

Espero que as minhas dicas sejam úteis!

By |18th/setembro/2017|Tradução|0 Comments

Minha experiência no coworking

Hoje eu reproduzo um texto que publiquei no blog Pronoia Tradutória a respeito da minha experiência trabalhando em espaços de coworking, a versão mais moderna do escritório compartilhado e ótima opção para profissionais “solo” em busca de contatos e convívio com os mais diferentes tipos de pessoas.

By |21st/julho/2016|Mediação, Tradução|0 Comments

O que a tradução e a mediação têm em comum?

Foi esta a primeira pergunta que eu e os meus designers nos fizemos quando nos reunimos para desenvolver uma identidade visual e este site – e, surpreendentemente, acabamos descobrindo que essas atividades têm de fato muito em comum.

Se pudermos resumir em apenas uma palavra, esta é comunicação: se a tradução é necessária para que falantes de idiomas diferentes se entendam, a mediação procura essencialmente reestabelecer entre as partes a comunicação que em algum momento foi perdida. Muitos conflitos surgem da falta de comunicação, de ruídos na interpretação das atitudes e sinais transmitidos, e, quando essas barreiras são transpostas, muitas vezes o consenso torna-se possível. Um dos resultados mais satisfatórios da mediação é quando as partes voltam a se falar, a se ouvir e a se compreender, ainda que não cheguem a um acordo final.

Na comunicação estão implícitas ideias de movimento, fluidez, conexão, troca, representações e símbolos, expressão verbal e não verbal, intercâmbio de informações. Tudo isso ocorre ao se traduzir um documento, ao se atuar como intérprete e ao se mediar um conflito. Frequentemente mediadores dizem que traduziram para um dos mediandos o que o outro procurava transmitir – fazem isso parafraseando, substituindo palavras por outras equivalentes e, sobretudo, estimulando-os a se comunicarem e a se compreenderem.

Mediadores e tradutores são, assim, elos de ligação entre dois ou mais indivíduos, cuja motivação é ajudá-los a se compreenderem e cuja ferramenta principal é a comunicação.

By |27th/abril/2016|Mediação, Tradução|0 Comments